EBD

O Ensino Bíblico Gravuras

CURSO BÍBLICO: LIVRO DE ATOS – UMA IGREJA COM PODER

Eliseu Pereira

LIÇÃO 4 – TESTEMUNHO EM JUDÉIA E SAMARIA 

Texto devocional:

“... enchei-vos do Espírito; falando entre vós em salmos, e hinos, e cânticos espirituais; cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração; dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo; sujeitando-vos uns aos outros no temor de Deus.” (Ef 5.18-21)

 

Texto Básico: Atos 8 – 12

 

1.      Perseguição: desafio e oportunidade:

a.      Desafio: preservar a igreja de Jerusalém

b.      Morte de Estevão: a lei permitia sepultamento de condenados, mas proibia lamentação; alguns cristãos piedosos o sepultaram e lamentaram sua morte;

c.      Perseguição maciça: provavelmente contra judeus helenistas, porque há evidências de que a igreja de Jerusalém continuou existindo. 

d.      Oportunidade: expansão do evangelho; os perseguidores não atacaram os apóstolos talvez porque temessem o poder deles;

e.      Dispersos: os perseguidos se espalharam por toda parte da Judéia, Samaria, Fenícia, Chipre e Antioquia (At 8.4; ver 11.19). Eles haviam perdido tudo e saíram pregando a palavra, estimulados pelo exemplo de Estêvão;

f.        Saulo: tortura, açoites, prisão, morte de cristãos (Atos 22.4,19; 26.10,11); 

 

2.      O Evangelho chega à Judéia e Samaria (Atos 8.1):

a.      Filipe: um dos diáconos, de boa reputação, cheio do Espírito Santo e de sabedoria, helenista (nascido e criado fora da Palestina), foi o instrumento de Deus para alcançar os samaritanos.

b.      Simão: mago ou feiticeiro, possuidor de segredos ocultos, reconheceu que os milagres feitos por Filipe eram autênticos; 

c.      Pedro e João: a visita a Samaria demonstra autenticidade da evangelização, aprovação da conversão dos samaritanos e aceitação deles na igreja de Deus;

d.      Aldeias: Pedro e João evangelizam várias aldeias de samaritanos;

 

3.      O Evangelho a caminho da Etiópia:

a.      Filipe:  disponibilidade para obedecer a Deus; saiu de um ministério promissor em Samaria para ir a uma estrada deserta;

b.      Eunuco: alto oficial do tesouro da Rainha Candace da Etiópia, convertido ao judaísmo; mesmo não tendo autorização para entrar no templo, por ser gentio e eunuco, havia viajado centenas de quilômetros para adorar em Jerusalém.

c.      Conversão: a fé vem pela pregação da palavra de Cristo (Rm 10.17);

 

4.      O Evangelho em Lida e Jope:

a.      As aldeias de Lida e Sarona ficavam a cerca de 40 km a noroeste de Jerusalém.

b.      Enéias (grego): estava paralítico há 8 anos foi curado; muitas conversões;

c.      Jope: cidade litorânea e porto importante;

d.      Tabita (Dorcas): obras de misericórdia;

 

5.      O Evangelho em Cesaréia:

a.      Cesaréia: sede do governo romano na Palestina; centurião era comandante de 100 soldados; corte era um regimento de 600 a 1000 soldados; (50 km de Jope); 

b.      Visão do gentio: buscar Pedro para anunciar o evangelho;

c.      Visão de Pedro:  animais puros (patas divididas e ruminar); 

d.      Conversão:  Cornélio envergonha a muitos cristãos, porque, antes de se converter era melhor do que alguns crentes; o centurião romano ajoelhou-se diante de um simples judeu;

e.      Crise na Igreja de Jerusalém: Pedro presta conta ao colégio de apóstolos; ele não ficou surpreso nem ofendido; 

 

6.      O Evangelho em Antioquia:

a.      Antioquia: era a 3ª maior cidade do mundo (depois de Roma e Alexandria), fundada por Nicanor Seleuco, em homenagem a seu pai Antíoco; na época era um centro político e comercial, com mais de 500 mil pessoas;

b.      Religião: era sede do templo à deusa Dafne, ninfa perseguida pelo deus Apolo; culto envolvia pornografia e imoralidade;

c.      Igreja: pela primeira vez, judeus e gentios congregavam juntos, adoravam ao mesmo Deus;

d.      Cristãos: “aqueles que pertencem a Cristo”; (“não sois de vós mesmos” 1 Co 6.19). Pedro: “Mas, se sofrer como cristão, não se envergonhe disso; antes, glorifique a Deus com  esse nome (1 Pe 4:16).

e.      Barnabé: judeu helenista, natural de Chipre, foi designado pelos apóstolos para cuidar da igreja de Antioquia;

f.        Paulo: 7 anos em Tarso, distante 160 km de Antioquia;

g.      Profetas: Ágabo predisse a fome que ocorreu nos anos 45-47 d.C. nos dias do imperador Cláudio;

 

7.      Nova perseguição em Jerusalém:

a.      Herodes Agripa I (37-44 d.C.): neto de Herodes, o Grande, filho de Aristóbulo e sobrinho de Herodes Antipas; ele é pai de Drusila (esposa de Félix – Atos 24.24); Herodes Agripa II (Atos 25) e Berenice (Atos 25.13); ele agrega a Judéia, Samaria, Galiléia e Iduméia e governa sobre toda a Palestina;

b.      Perseguição: para agradar os judeus, persegue a igreja e ataca os apóstolos;

c.      Morte de Tiago: é preso e morto à espada;

d.      Prisão de Pedro: quatro escoltas de 4 soldados, sendo 2 deles algemados a Pedro; Herodes pretendia matá-lo após a festa da Páscoa;

e.      Livramento: o desaparecimento de Pedro foi um golpe nas intenções de Agripa I. os guardas foram torturados mas não tinham outra explicação a não ser que Pedro havia desaparecido. Como Agripa não podia admitir o milagre, ele preferiu executar os guardas.

f.        Morte: Herodes Agripa I morre em agonia, aos 54 anos e 7 de reinado, no auge de sua auto-glorificação;  vestido de túnica de prata e resplandecente. Com ele acabou a glória dos Herodes e o governo volta aos procuradores romanos.

g.      Crescimento: a igreja prospera e a palavra é anunciada em todos os lugares (Mt 16: as portas do inferno não prevalecem contra a igreja de Cristo).

Índice das Lições deste Curso