EBD

O Ensino Bíblico Gravuras

CURSO BÍBLICO: LIVRO DE ATOS – UMA IGREJA COM PODER

Eliseu Pereira

LIÇÃO 5 – TESTEMUNHAS NOS CONFINS DA TERRA 

1ª VIAGEM MISSIONÁRIA 

Texto devocional:

“Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra.” (Atos 1.8) “...mas enchei-vos do Espírito” (Ef 5.18) 

Texto Básico: Atos 13 – 15

1.      Igreja de Antioquia:

a.      Vanguarda: primeira comunidade de judeus e gentios; primeira congregação a enviar ajuda benevolente a uma outra congregação e primeira a ter uma visão mundial das almas.

b.      Líderes: Barnabé; Simeão Niger, Lúcio Cirineu, Menaém (irmão adotivo de Herodes, o Grande); oriundos de locais, sociedades e raças diferentes;

 

2.      Comissão do Espírito Santo:

a.      Barnabé e Saulo: “Separai-me agora ...” Deus chama pessoas ocupadas;

b.      Chamado: “obra a que os tenho chamado” – qual era a visão?

                                  i. Barnabé havia sido incumbido da pregação pelos irmãos de Jerusalém;

                                ii. Saulo: incumbido para pregar o evangelho 10 anos antes (26.12-18)

c.      Visão: o texto não especifica o roteiro nem outros detalhes; a obra de Deus não prescinde da participação e iniciativa humanas;

 

3.      1ª Viagem missionária:

a.      Equipe: Paulo, Barnabé e João Marcos (este até Chipre)

b.      Estratégia: pregação aos judeus e a gentios piedosos;

c.      Duração: cerca de 2 anos, de 46-48 d.C.;

 

4.      Cidades e principais eventos:

a.      Roteiro de ida:

 

CIDADE

EVENTOS

 de Antioquia Síria ao

Porto Selêucia (25 km)

- Ponto de partida: ilha de Chipre, terra de Barnabé, a chamada “Ilha Feliz” – rica e bela;

 de Selêucia a

Salamina  (100 km)

- Atravessam a ilha de Salamina a Pafos, pregando nas sinagogas (130 km);

- Não menciona a resposta das pessoas ao evangelho;

 em Pafos (capital da província)

- Evangelização do procônsul Sérgio Paulo;

- Oposição do mágico judeu Barjesus (ou Elimas, ou Filho de Jesus): a derrota das trevas;

 de Pafos a Atalia

- 240 km de navegação

 de Atalia a

Perge, capital da Panfília (10 Km) 

- Mudanças na equipe:

- Deserção de João: volta para Jerusalém;

- Paulo assume a liderança da equipe;

 de Perge a Antioquia da Pisídia, cidade principal da Galácia (160 Km, 1000 m altitude) 

- Dificuldades: caminho difícil e perigoso (2 Co 11.26); enfermidade física (Gl 4.13); povo depravado e hostil;

- Pregação na sinagoga: sermão de Paulo;

- “afluiu quase toda a cidade”: propagação da fé; 

- duas resações: conversão de judeus e prosélitos e perseguição e expulsão da cidade;

- Paulo e Barnabé sacudiram o pó dos pés;

 de Antioquia a Icônio (140 km)  

- Centro agrícola e cruzamento de rotas;

- Pregação na sinagoga;

- Operação de sinais e prodígios; muitos crêem;

- Perseguição de judeus;

- ameaça de apedrejamento; 

- Fuga para Listra (Mt 10.23: perseguição e fuga);

 de Icônio a Listra (30 Km)

- Não havia sinagoga: pregação ao ar livre;

- Cura do paralítico de nascença;

- Idolatria: Júpiter (Zeus) e Mercúrio (Hermes);

- Público pagão: pregar a partir da compreensão;

- Perseguição de judeus de outras cidades;

- Paulo é apedrejado e gravemente ferido (2 Co 11.23; Gl 6.17 – marcas; 2 Tm 3.11);

 de Listra a Derbe (100 km)

- Pregação do evangelho; muitas conversões;

- Poderiam ter tomado o caminho mais curto de volta;

 

b.      Roteiro de volta:

 

CIDADE

EVENTOS

 Listra 

- Ministério de fortalecer os novos crentes;

- Organização de igrejas;

- Eleição de presbíteros;

 Icônio 

 Antioquia Pisídia 

 Perge 

- Pregação do evangelho;

 Atália 

- Porto de volta para Antioquia;

 Selêucia 

- Porto de chegada;

 Antioquia

- Apresentação do relatório à igreja;

 

5.      Lições do apedrejamento em Listra:

a.      Paulo não permitiu que os maus tratos o deixassem amargurado tanto quanto não permitiu que a adoração o deixasse orgulhoso;

b.      Paulo enfrentou seus ofensores imediatamente.

c.      Paulo confiou em seus irmãos; tinha um relacionamento íntimo com eles.

d.      Paulo não desistiu da vida; continuou com o trabalho que Deus lhe dera.

e.      Paulo não tentou reagir aos maus tratos com suas próprias forças, mas confiou em Deus.

 

6.      Concílio de Jerusalém: abrir ou fechar a porta da fé?             

a.      Data: 49 d.C.

b.      Conflito (15.1-3): questão judaizante – os novos crentes deviam obedecer a lei de Moisés ou não? As viagens missionárias estavam em cheque.

c.      Favorável: Paulo apresenta relatório da viagem (14.20,21,23,27; 15.4);

d.      Contrários (15.5): fariseus convertidos defendiam a obrigatoriedade de os gentios observarem a circuncisão e a lei de Moisés;

e.      Argumento de Pedro(15.7-11): experiência na casa de Cornélio;

f.        Argumento de Paulo (5.12): os gentios participam da igreja junto com judeus;

g.      Conclusão de Tiago (15.13-21): os gentios não são obrigados a seguir a lei;

h.      Recomendações (15.22-29): abster-se: da contaminação dos ídolos; das relações sexuais ilícitas; da carne de animais sufocados e do sangue.

Índice das Lições deste Curso