EBD

O Ensino Bíblico Gravuras

CURSO BÍBLICO: FUNDAMENTOS DA FÉ CRISTÃ

Prof. Eliseu Pereira (eliseugp@yahoo.com.br)

LIÇÃO 18 – DOUTRINA DA REGENERAÇÃO 

Texto bíblico: Jesus respondeu: ... “Necessário vos é nascer de novo” (Jo 3.5,7)

 

[1]          Introdução:

a. Salvação: obra da graça de Deus concedida ao homem mediante arrependimento  e fé em Jesus Cristo como único Salvador e Senhor; compreende a justificação, a santificação e a glorificação.

b. Regeneração não é:

               i.Mudança de religião: isto é apenas proselitismo;

             ii.Reencarnação: crença de que uma pessoa nasce “encarna” várias vezes;

           iii. Batismo nas águas: um símbolo externo de uma realidade interior.

            iv.Reforma moral: melhora de comportamento, mudança externa, conformidade a um código de regras de conduta;

 

[2]          Definição:

a. Regeneração: ato inicial da salvação em que Deus faz nascer de novo o pecador perdido, dele fazendo uma nova criatura em Cristo; obra do Espírito Santo em que o pecador recebe o perdão, a justificação, a adoção como filho de Deus, a vida eterna e o dom do Espírito Santo; o homem é reconciliado com Deus, que lhe concede perdão, justiça e paz. (Jo 1:12-13; Rm 8:14-17; 2 Pe 1.4; 1 Jo 3:9-10).

b. Diferentes designações:

             i. novo nascimento: Jo 1.13; 3:3,6-7; 1 Pe 1:3,23; 1 Jo 3:9; 5:1,18;

             ii. ressurreição ou novidade de vida: Rm 6:4-13; Ef 2:4-6; Cl 2:12-13; 3:1-3;

            iii. nova criação: 2 Co 5:17; Gl. 6:15;

            iv. novo coração ou mente: Jr 24:7;31:33;32:38-39; Ez 11:19-20;36:25-27; Hb 10:16.

            v.conversão: das trevas para a luz (At 26.18); dos ídolos para Deus (1 Ts 1.9); “Convertei-vos, convertei-vos dos vossos maus caminhos, pois por que razão morreríeis, ó casa de Israel?” (Ez. 33: 11);

c. Nova aliança: “E dar-vos-ei um coração novo, e porei dentro de vós um espírito novo; e tirarei da vossa carne o coração de pedra, e vos darei um coração de carne. E porei dentro de vós o meu Espírito, e farei que andeis nos meus estatutos, e guardeis os meus juízos, e os observeis” (Ez 36.24-27).

 

[3]          Condições para regeneração:

“o reino de Deus está próximo; arrependei-vos e crede no evangelho” (Mc 1:14).

a. Arrependimento: (gr. metanoia)

               i.não é remorso (p.ex: Esaú e Judas); o remorso não leva a abandonar o pecado;

             ii.pode ser superficial: “...esse é o que ouve a palavra e a recebe logo, com alegria; mas não tem raiz em si mesmo, sendo, antes, de pouca duração ...” (Mt 13.21);

           iii.deve ser autêntico: implica em mudança radical do homem interior, por força do que ele se afasta do pecado e se volta para Deus; significa mudança de mente, atitude, maneira de pensar, disposição, caráter, consciência moral ou voltar-se do pecado para Deus (Mt. 4:17).

            iv.produz frutos: o arrependimento necessariamente produz evidências de comunhão com Deus e o desejo de servi-lo (Lc 1:6; At 26:16-20).

b. Fé: (gr. pistis) é a confiança e aceitação de Jesus Cristo como Salvador e a total entrega pessoal a ele (Rm 1.16); confessar com a boca e crer com coração (10.9).

               i.Aspectos: não é mero assentimento intelectual (até os demônios crêem, Tg 2.19), mas envolve conhecimento da verdade (intelecto), tristeza pelos pecados (emoções) e decisão de buscar a Deus (vontade).

             ii.Submissão: o justo viverá pela fé em Deus (Rm 1.17); após o perdão de pecados e a adoção como filho (Rm 8.15; Gl 4.5; Ef 1.5), o cristão deve confiar inteiramente em Deus para sua completa salvação;

           iii.Crer: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.”

            iv.Confiança: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele se estende não pereça, mas tenha a vida eterna.” (tradução do NT nas Ilhas Hébridas);

              v.Graça: “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus, não vem das obras, para que ninguém se glorie” (Ef 2.8,9)

 

[4]    Meios de regeneração:

a. Espírito Santo: o poder da regeneração é o mesmo poder que ressuscitou Cristo dentre os mortos; "para saberdes qual é (...) a suprema grandeza do seu poder para com os que cremos, segundo a eficácia da força do seu poder; o qual exerceu ele em Cristo, ressuscitando-o dentre os mortos" (Efésios 1:18-20; (2 Pe 1.4).

b. Palavra: “tendo renascido, não de semente corruptível, mas de incorruptível, pela palavra de Deus, a qual vive e permanece” (1 Pe 1.23); ”Segundo a sua própria vontade, ele nos gerou pela palavra da verdade, para que fôssemos como que primícias das suas criaturas” (Tg 1:18);

 

[5]    Necessidade de regeneração:

a. Reino de Deus: Assim como o nascimento natural nos introduz no mundo natural e temporal, assim o nascimento espiritual nos introduz no reino espiritual e eterno (o reino de Deus). Como não é possível experimentar o mundo físico sem ter nascido nele fisicamente, assim também não podemos experimentar o mundo espiritual sem ter nascido nele espiritualmente (Jo 3:3,5,7);

b. Morte física e espiritual: “E agora digo isto, irmãos: que a carne e o sangue não podem herdar o reino de Deus, nem a corrupção herdar a incorrupção” (1 Co 15.50); a mentira sedutora é “certamente não morrereis” (Gn 3.4); mas a verdade é que “todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus” (Rm 3.23; 6.23).

 

[6]   Para refletir:

a. Paulo: “A lei do espírito da vida em Cristo Jesus me livrou da lei do pecado e da morte” (Romanos 8.2) .

b. Oração de Maria: "Aqui está a serva do Senhor; que se cumpra em mim conforme a tua palavra” (Lucas 1.38).