EBD

O Ensino Bíblico Gravuras

CURSO BÍBLICO: FUNDAMENTOS DA FÉ CRISTÃ

Prof. Eliseu Pereira (eliseugp@yahoo.com.br) 

LIÇÃO 4 –  FÉ CRISTà

Texto devocional:  “o evangelho... é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê...; visto que a justiça de Deus se revela no evangelho, de fé em fé, como está escrito: o justo viverá por fé” (Rm 1.16-17).

 

[1]          Revisão:

a.      Razão: faculdade que tem o ser humano de avaliar, julgar, ponderar (Aurélio);

b.      Racionalismo (razão): elevar a razão como critério último de verdade;

c.      : resposta do homem à revelação de Deus na Palavra e em Cristo (Hb 1.1); 

d.      Revelação: se há um Deus pessoal, então ele fala; o homem, criado à imagem e semelhança de Deus, se distingue pela fala; então é perfeitamente aceitável que Deus se comunique com o homem;

 

[2]          Fé – conceitos:

a.      Sentido comum: crença em algo que não se pode provar com lógica;

b.      Sentido natural: confiança nas pessoas, no governo, nos condutores, etc;

c.      Sentido religioso: “fazer pela fé”; “tenha fé”; algumas pessoas dizem que tem fé, mas não conhecem a Deus e nunca leram a Bíblia; algumas pessoas dizem que gostariam de ter fé, mas não conseguem; outras dizem que têm a sua própria fé;

d.      Sentido bíblico:

                         i.          Antigo Testamento: fé derivada de 2 palavras hebraicas: amman: significa certeza, confiança, origem da nossa palavra amém; batah: confiança, verbo confiar, esperar, crer; 

                       ii.          Novo Testamento: “fé é a certeza das coisas que se esperam e a convicção de fatos que se não vêem” (Hb 11.1); “andamos por fé e não pelo que vemos”.

 

[3]          Fé cristã não é:

a.      Natural: não é uma capacidade inata da personalidade de cada um que uns têm e outros não;

b.      Credulidade: “a fé cristã é uma crença ilógica no que não se pode provar” (Mencken); credulidade se baseia em imaginação;

c.      Otimismo: não é força de pensamento positivo, nem da vontade própria;

d.      Um fim em si mesma: (fé na fé); não tem sentido falar “eu tenho fé” se esta fé não está fundamentada em Deus;

e.      Irracional: não é confiança cega ou desarrazoada; não é pulo no escuro; a fé ultrapasse o entendimento, mas não o elimina;

 

[4]          A fé cristã é:

a.      Resposta: uma resposta de confiança em Deus e sua palavra: “a fé vem pelo ouvir a Palavra de Cristo” (Rm 10.17);

b.      Razoável: porque envolve reflexão e certeza e se apóia no fato de que Deus é comprovadamente bom e fiel (Sl 34.8; 1 Pe 2.3); não é meramente intelectual, mas envolve o intelecto (Jo 14.11 – crer pela análise das obras de Deus);

c.      Coerente: se tudo vem de Deus, então a fé é coerente com tudo que há; 


[5]          Natureza da fé:

a.      Alicerce da fé: Deus é o fundamento da fé cristã; Jesus é o Autor e Consumador da fé (Hb 12.1) – (“quem crê em mim, nunca morrerá”  - Jo 11.26; “Quem crê em mim nunca terá sede” - Jo 6.35; “quem crê em mim tem a vida eterna” Jo 6.47);

b.      “a palavra acompanhada pela fé” (Hb 4.1-2);

c.      Tamanho da fé: não o tamanho da fé – basta fé do tamanho de um grão de mostarda  (Mt 17.20).

d.      Palavra de Deus: a palavra desperta fé e a fé se apóia na palavra. O cristão reconhece que a razão sozinha não é capaz de chegar ao entendimento de Cristo; mas do toque do Espírito Santo a fim de conhecer e crer (dom de Deus).

 

[6]          Objeto da fé:

a.      Sentido amplo: a Palavra de Deus – mandamentos, promessas, instruções;  

b.      “a palavra acompanhada pela fé” (Hb 4.1-2);

c.      Sentido específico: o supremo alvo da fé cristã é Cristo;

 

[7]          Origem da fé:

a.      Palavra de Deus: a palavra desperta fé e a fé se apóia na palavra. O cristão reconhece que a razão sozinha não é capaz de chegar ao entendimento de Cristo; mas do toque do Espírito Santo a fim de conhecer e crer (dom de Deus).

 

[8]          Resumo:

a.      Fé cristã: há uma só fé, aquela que baseia sobre o fundamento da Palavra de Deus como revelada em Cristo. A fé não depende de esforço, mas de confiar na palavra de Deus. Não se trata da minha ou da sua fé, mas da fé que nasce da revelação de Deus. (“Como crerão se não quem pregue?”). 

b.      Esquema:         crescimento espiritual “de fé em fé” (Rm 1.17)

                         i. Início: Deus dá a palavra  —>     

                       ii. Graça: nós ouvimos a palavra    —>   

                     iii. Espírito Santo: a palavra gera fé em nosso coração  —>

                     iv. Resposta: nós respondemos à palavra de Deus.