EBD

O Ensino Bíblico Gravuras

 

CURSO BÍBLICO: INTEGRALIDADE DO SER

 

Prof. Eliseu Pereira (eliseugp@yahoo.com.br)

LIÇÃO 9 — A CURA DO HOMEM ESPIRITUAL EM ROMANOS 8 

[1]          INTRODUÇÃO

a.      Pergunta: “Quem me livrará do corpo desta morte?” (Rm 7.24)

b.      Resposta: “a lei do Espírito da vida te livrou do pecado e da morte” (8.2).

c.      Objetivo: analisar em que sentido Cristo é a solução para o dilema humano (Rm 7.24-25); o que significam os termos “nova criatura” e “novidade de vida” e a obra de restauração em curso no novo homem (santificação).

 

[2]          COMO PRODUZ INTEGRIDADE — O ESPÍRITO SANTO LIBERTA (8.1-4)

a.      Condenação (8.1): todo pecado é contra Deus; Cristo é o mediador da reconciliação com Deus; a antiga aliança impunha obrigações que o homem não cumpriu; por isto, Deus tem pleno direito de exercer sua justiça sobre os homens.

b.      Compare: 5.1 e 8.1 —  

               i.afirmação positiva: “Justificados, pois, mediante a fé temos paz com Deus” (5.1).

             ii.afirmação negativa: “nenhuma condenação há para os que estão em Cristo” (8.1).

c.      em Cristo” (8.1): fala da nossa identificação com Cristo na cruz;

d.      Compare: “nenhuma condenação” (8.1); “quem os condenará” (8.33,34; Jo 5.24).

e.      Lei: a lei é uma só; quando atua no homem natural, acusa o pecado e não livra da morte; quando atua no homem espiritual produz vida por meio do Espírito Santo.

f.        Lei do Espírito da vida (8.2): viver de acordo com a vontade de Deus para a plenitude da experiência humana; viver no Espírito; a vida é conseqüência direta da habitação do Espírito Santo no crente.

g.      Lei do pecado e da morte (8.2): viver de acordo com os impulsos e necessidades imediatas para satisfação de si mesmo; viver segundo a ‘carne’; a morte é conseqüência natural e necessária da separação de Deus.

h.      te livrou”:  da lei que revela o pecado e separa o homem de Deus; não estar debaixo da lei (6.14); não depender da lei para justificação e santificação.

i.        impossível à lei” (8.3): a lei nunca poderia conquistar a comunhão do homem com Deus; a lei jamais poderia reabilitar o homem decaído para a vida de Deus; o homem descumpriu sua parte da aliança com Deus.

j.         Enfermidade da lei (8.3): a lei é santa, justa, boa (7.12) e espiritual (7.14), mas não pode produzir na carne a obediência; a lei não produz, mas acusa o pecado.

k.      enviando seu próprio Filho” (8.3): Cristo assumiu voluntariamente a condenação dos homens, venceu a morte e confere o Espírito da vida aos que crêem.

l.         Condenar na carne: o pecado foi julgado na carne de Cristo; nele, a lei é satisfeita plenamente e a vida de Deus pode ser oferecida aos homens gratuitamente.

m.    Andar no Espírito (8.4): os que estão em Cristo recebem não apenas o perdão (não-condenação), mas também o Espírito da vida (8.9).

n.      Conclusão: a presença do Espírito Santo remove a condenação do pecado porque, por meio dele, o preceito da lei se cumpre em nós (8.4).

 

[3]          COMO PRODUZ INTEGRIDADE — O ESPÍRITO SANTO RENOVA (8.5-8)

a.      inclinam para” (8.5): segundo a carne ou segundo o Espírito; preposição grega katã traduzida como “de acordo com a lei” (At 24.14); “segundo a carne” (1.3), “conforme o meu evangelho” (2.16), “no tocante ao homem interior” (7.22).

b.      Cogitar (8.5): refletir, pensar, ter em mente (Dic Aurélio); phroneo (grego) pensar, julgar, ter opinião; tomar partido; buscar os interesses (Thayer); disposição mental (Strong); ver “não cogitas das coisas de Deus (Mt 16.23); “tendo o mesmo sentimento” (12.16;15.5); “sentia como menino” (1Co 13.11); “sede do mesmo parecer” (2Co 13.11); “pensai nas coisas lá do alto” (Cl 3.2; Fp 3.19).

c.      Pendor (8.6): inclinação, tendência, propensão (Dic Aurélio); propósito (Strong); mente; mesma palavra usada em “sabe qual é a mente do Espírito” (8.27).

d.      Mente da carne (8.7,8):

               i.Autonomia (relação com Deus): rejeita o governo de Deus; inimizade contra Deus; não sujeita à lei de  Deus (8.7); obras da carne — idolatria, feitiçaria (Gl 5.20).

             ii.Satisfação de apetites (relação consigo mesmo): provisão dos apetites físicos, imediatos e temporais; obras da carne — prostituição, impureza, lascívia, bebedices, glutonarias (Gl 5.19).

           iii.Egocentrismo (relação com o próximo): inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdia, dissensões, facções, invejas (Gl 5.19-21).

e.      Mente do Espírito: governo de Deus e provisão das necessidades espirituais e físicas, temporais e eternas; ver 1Co 2.10-16.

f.        Conseqüências (8.6): a mente da carne conduz à morte e a mente do Espírito Santo conduz a Deus, fonte da vida.

 

[4]          COMO PRODUZ INTEGRIDADE — O ESPÍRITO HABITA (8.9-17)

a.      Compare: “estão em Cristo” (8.1), “no Espírito” (8.9) com “estão na carne” (8.8).

b.      Verdade central (8.9): estar em Cristo é ter o Espírito de Cristo; é a identidade verdadeira do cristão (“se alguém não tem o Espírito... não é dele”).

c.      Devedor (8.12): preso a compromisso, a um dever (Thayer); o cristão não deve obediência à carne (6.16; 7.4); ver “está obrigado a guardar toda a lei” (Gl 5.3).

d.      Mortificar (8.13): não se orientar pelas próprias opiniões e pelos impulsos físicos; “fazei, pois morrer a vossa natureza” (Cl 3.5); os cristãos “crucificaram a carne, com as suas paixões e concupiscências” (Gl.5:24).

e.      Viver: o resultado de andar no Espírito é  — “certamente vivereis” (8.13).

               i.“nós, que vivemos, estamos sempre entregues à morte por amor de Jesus, para que a vida de Jesus se manifeste também na nossa carne mortal” (1Co4.11)

             ii.“mas do espírito; porque a letra mata e o espírito vivifica” (1Co3.6).

           iii.“Porque nele vivemos, e nos movemos, e existimos” (At 17).

            iv.“Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá da fé” (Rm 1.17; Gl 3.11).

              v.“Todavia para nós há um só Deus, o Pai,... para quem nós vivemos” (1Co 8.6).

f.        pelo Espírito” (8.13): o Espírito Santo é o único poder capaz de libertar do carne e do pecado; a habitação do Espírito capacita o cristão a viver a vida nova.

g.      Obra do Espírito: a conseqüência de ser habitado pelo Espírito é desfrutar da vida nova mediante a mortificação da carne e a vivificação do espírito e do corpo físico — integridade — o homem todo salvo (1Ts 5.23);

 

[4.1]    RESULTADOS DA OBRA DO ESPÍRITO SANTO (8.11-16)

Resultados: a obra do Espírito Santo produz efeitos imediatos e eternos — “Se, porém, Cristo está em vós” (8.10a); “Se habita em vós o Espírito” (8.11a).

a.             Vida e ressurreição (8.10-11): o corpo sofre os efeitos da morte “por causa do pecado”, mas o homem interior vive “por causa da justiça” de Cristo; porém a habitação do Espírito Santo garante a ressurreição futura do corpo.   

b.             Orientação (8.14): dirigidos pelo Espírito de Deus como um aluno é orientado por seu mestre, como um turista é orientado pelo guia, como um soldado é orientado pelo seu comandante; não puxado como um animal, mas orientado como seres racionais (Henry).

               i.“ele [o Espírito Santo] vos guiará a toda verdade” (Jo 16.13);

             ii.“se sois guiados pelo Espírito, não estais sob a lei” (Gl 5.18);

           iii.ver Sl 5.8; 23.2,3; 27.11; 139.10,24; Is 48.17; 58.11; “guiar-te-ei com os meus olhos”.(Sl 32.8).

c.             Adoção (8.15): uihothesia (grego), ou no lugar de filho; espírito de adoção (natureza de filho) em contraste com espírito de escravidão (escravo); Rm 8.23.

               i.“a fim de que recebêssemos a adoção de filhos” (Gl 4.5);

             ii.“nos predestinou para... a adoção de filhos” (Ef 1.5);

           iii.“deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus” (Jo 1.12).

d.             Testemunho (8.16): confirmação, comprovação, demonstração; testificar quer dizer afirmar, declarar, assegurar (Dic Aurélio); a certeza de ser filho de Deus não está alicerçada na mente mas no testemunho do Espírito Santo; o filho de Deus não dá testemunho de si mesmo (Jo 5.31-32; 8.13; 1Jo 5.9-11);

               i.o Espírito dá testemunho das verdades da Palavra de Deus (Hb 10.15; 1Pe 1.11).

             ii.“E o Espírito é o que dá testemunho, porque o Espírito é a verdade” (1Jo 5.6).

e.             Herdeiro (8.17):[1] kleronomos (grego), isto é, aquele que recebe parte de posse por direito de filho (Thayer); obter por partilha de bens; proprietário (Henry); os cristãos não compram a glória futura por mérito, mas por ato da graça de Deus.

               i.“se somos filhos, somos também herdeiros”; título de posse futura, isto é, a adoção de filhos nos habilita a participar da herança.

             ii.Compare “herdeiros de Deus” com “o Senhor é a porção da minha herança... é mui linda a minha herança” (Sl 16.5,6) — o próprio Deus é a herança dos santos.

           iii.co-herdeiros com Cristo”: aqueles que tem o Espírito de Cristo (Rm 8.9); Cristo é o herdeiro de todas as coisas e os cristãos, por união com Cristo, herda juntamente todas as coisas (Ap 21.7); ver Jo 17.24; Ap 3.21.

            iv.igreja dos primogênitos” (Hb 12.23); o cristão é adotado com direitos de primogênito, isto, é co-herdeiro com Cristo, o irmão primogênito.

f.               Viver e andar no Espírito Santo:

               i.viver no Espírito Santo é dom de Deus — GRAÇA; 

             ii.andar no Espírito Santo: responsabilidade do cristão — FÉ;

           iii.“se vivemos no Espírito, andemos também no Espírito” (Gl 5.25).

 

[5]       PARA REFLETIR

a.             ANTES: “porque o que quero, isso não pratico; mas o que aborreço, isso faço... com efeito o querer o bem está em mim, mas o efetuá-lo não está. Pois não faço o bem que quero, mas o mal que não quero, esse pratico” (Rm 7.19).

b.             AGORA: “Desenvolvei a vossa salvação com temor e tremor; porque Deus é quem efetua em vós o querer e o realizar, segundo a sua boa vontade” (Fp 2.13). 

c.             John Stott: “Se relembrarmos a passagem inteira que vai de Romanos 7.1 até 8.4, o lugar constante da lei na vida do cristão deveria estar bem claro em nossa mente. Nossa libertação da lei (proclamada, por exemplo, em 7.4, 6 e em 8.2) não nos deixa livres para desobedecer a ela. Pelo contrário, a obediência à lei por parte do povo de Deus é tão importante para Deus que ele enviou seu Filho para morrer por nós e seu Espírito para viver em nós, a fim de assegurar essa obediência. A santidade é fruto da graça trinitária: é o Pai que envia o seu Filho ao mundo e seu Espírito aos nossos corações”.


 

[1] Matthew Henry's Concise Commentary, Romanos 8.17-25 disponível em www.e-sword.net.