EBD

O Ensino Bíblico Gravuras

 

CURSO BÍBLICO: TEMOR A DEUS E INTIMIDADE

 

Prof. Eliseu Pereira (eliseugp@yahoo.com.br)

LIÇÃO 3 – COMUNHÃO COM DEUS

ADORAÇÃO NO ESPÍRITO (3ª parte) 

Texto: importa que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade” (Jo 4.24).

 

[1]          Adorar — o que significa: [1]

a.      Etimologia:

                    i.Latimadorare (ad oris, para a boca); gesto reverencial de tocar com a mão direita a pessoa ou objeto sagrado e cobrir a boca com a mão esquerda. [2]

                  ii.Hebraico: shachah (170 vezes no AT) quer dizer inclinar-se, cair diante de, prostrar-se, ajoelhar-se.

                iii.Grego: principais termos usados no NT —

1.      proskuneo (59 vezes no NT) formada de pros (para) + kuneo (beijar) significa literalmente “beijar a mão ou o piso diante de”; reverenciar ou homenagear; ato de prostrar-se aos pés; prestar homenagem ou tributo divino (Mt 4.10, Jo 4.20-21, Hb 1.6); beijar denota contato, aproximação, relação;

2.      sebomai (8 vezes no NT), formado por sebas (temor) e latreia (culto).

                iv.Inglês: weordhscipe (inglês arcaico) ou worship ("valor reconhecido") significa “dar tributo de dignidade ou valor a um objeto ou pessoa”.

b.      Dicionário: orar, pedir orando; render culto, prostrar-se, ajoelhar; venerar, reverenciar, respeitar, admirar (Dic Houaiss).

c.      Adoração cristã não é: um sistema religioso, serviço de adoração, culto público, período de louvor, embora possa incluir tudo isto.

d.      Adoração cristã é: uma relação pessoal com Deus.

                    i.Sentido estrito: prostração, reconhecimento de autoridade e relação com essa autoridade (Gn 24:48, Ex 4:31, II Rs 17:35, Sl 5:7, 95:6-7, Jo 4:23).

                  ii.Sentido amplo: mais do que prestar culto; é um estilo de vida porque transcende o espaço do templo e o momento do culto, isto é, envolve a vida do adorador; resulta de andar com Deus; “Anda na minha presença e sê perfeito” (Gn 17.1).

                iii.Donald P. Hustad: adoração é “a resposta afirmativa do ser humano a Deus, o qual revela-se a si mesmo como Deus Triúno” 1

                iv.W. T. Conner: “Quando dizemos que a adoração é o negócio primário da Igreja, devemos usar a palavra no sentido mais amplo. A adoração inclui a expressão, ou o anelo da alma em resposta à revelação que Deus nos faz de Si em Cristo. Inclui o canto, a oração, a leitura das Escrituras, as oferendas, o sermão, as cerimônias: a totalidade da entrega da alma, individualmente e como corpo, a Deus, em resposta a sua graça”. 1

                  v.William Temple: “A única coisa que pode salvar este mundo do caos político e do colapso é a adoração. A única esperança do mundo é a igreja e a única esperança da igreja é o retorno à adoração.” [3]

 

[2]          Adorar — liturgia e experiência

a.      Liturgia: a adoração dos primeiros cristãos não rivalizou com a liturgia da sinagoga, mas a aprimorou. O próprio Jesus não condenou os cultos no templo e nas sinagogas, embora ele tenha dado um sentido novo ao ato de ADORAR.

b.      Experiência: compare “o adorem em Espírito e em verdade” (Jo 4.24) com “onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles” (Mt 18.20). Em Cristo, a adoração não está restrita a espaço ou a ritos, mas a realidade da habitação do Espírito Santo na igreja. A adoração cristã é pessoal (experiência) e também congregacional (afirmação e renovação da experiência).

c.      Relacionamento: a essência da adoração é o amor; adoração é fruto do amor; Onde estiver o seu tesouro ai estará o seu amor” (Mt 6.)

d.      Destino do homem: "O fim supremo e principal do homem é glorificar a Deus e gozá-lo para sempre" (Cat Maior da IPB); viver em comunhão eterna com deus e louvar a Deus; “A fim de sermos para louvor da sua glória” (Ef 1.12; 1Pe 2.5).

 

[3]          Adorar e não conhecer? [4]

a.      Adoração com ignorância: a adoração sem conhecimento não tem sentido.

               i.Jesus disse a mulher samaritana: “Vós adorais o que não conheceis” (Jo 4.22; 4.10); “ao deus desconhecido” (At 17.18; ver Mt 22:29).

             ii.Se ADORAR é prestar culto e reverência a alguém, NÃO É POSSÍVEL adorar alguém desconhecido.

b.      Adoração sem obediência: “o obedecer é melhor que o sacrificar, e o atender melhor que a gordura dos carneiros” (I Samuel 15: 21-22).

c.      Adoração formal: forma sem conteúdo; aparência de piedade, mas sem temor à verdade; fixa-se no prazer pessoal e nas tradições dos homens; os fariseus eram religiosos que faziam conforme a lei para tentar agradar a Deus (Mt 23:15,23); os judeus “têm zelo por Deus, mas não com entendimento” (Rm 10.2).

d.      Adoração externa: adora com os lábios, mas não de coração (Mt 15.8,9); Isaías denuncia este culto falso; o povo observava os sacrifícios, fazia orações, levantava as mãos, mas sem integridade de coração (Is 1.2,13,16,17).

               i.“Bem profetizou Isaías acerca de vós, hipócritas, como está escrito: Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim” (Mc 7.6,7). 

[4]          Adorar e conhecer — adorar em Espírito e em verdade

a.      Adoradores: os que celebram os atos de Deus por meio de Cristo; toda iniciativa é de Deus; a adoração é resposta aos atos de Deus em favor do homem.

b.      “Importa que”: significa ‘é necessário’, mesma palavra usada em Jo 3.7 “necessário vos é nascer de novo” e em “assim importa que o Filho do homem seja levantado” (Jo 3.14). Somente os que nasceram de novo, confiam na obra expiatória de Cristo podem adorar o Pai.[5]

c.      Em espírito: não quer dizer adorar apenas com lágrimas e emoções, mas com todo o ser — com verdade (conhecimento); opõe-se a ritos e cerimônias. 

                    i.Deus é espírito: por isto, Deus pode e quer ser adorado em qualquer lugar.

                  ii.Cristão espiritual: por meio de Cristo e da habitação do Espírito, o cristão pode render a Deus o que o próprio Deus tem gerado em seu coração (1Co 12.3).

d.      Em verdade: adorar a Deus pelo que ele é, segundo a revelação em das Escrituras e em Cristo (ver 1Jo 5.20 sobre reconhecer a verdade); envolve integridade e simplicidade;  opõe-se a superstições e ilusões idólatras. 4 

[5]          Para refletir:

è   “Portanto, ofereçamos sempre por ele a Deus sacrifício de louvor, isto é, o fruto dos lábios que confessam o seu nome” (Hb 13.15).


 

[1] DARINO, Miguel Angel, artigo A Adoração e a Bíblia e outros no site www.musicaeadoracao.com.br.

[2] Dizionario etimologico online, disponível em http://www.etimo.it. 

[3] Casimiro, Arival Dias. Adoração Bíblica, disponível no site www.musicaeadoracao.com.br.

[4] Pinheiro, Elias, artigo A Adoração verdadeira, disponível  no site www.musicaeadoracao.com.br.

[5] Pink, Artur W. artigo Adoração disponível no site www.musicaeadoracao.com.br.